Telefone: +55 11 2489-6960 | 0800 772 1069

A geometria do tecido descreve todos os aspectos bidimensionais ou tridimensionais da sua estrutura. Os fatores básicos na geometria dos tecidos são o número de fios e o diâmetro do fio. A contagem da malha (lineatura) é especificada como o número de fios por cm.

Ao selecionar um tecido para uma determinada aplicação, a geometria do mesmo é mais importante do que a sua elasticidade.

A geometria do tecido afeta diretamente:

• A impressão de linhas finas e a impressão de meios tons;

• A definição de contornos;

• As características de passagem da tinta;

• A velocidade máxima de impressão (junto com a viscosidade da tinta);

• A espessura da camada de tinta;

• O consumo de tinta;

• A secagem da tinta.

 

Os seguintes valores, listados em planilhas de dados técnicos, tais como:

 

·         abertura da malha em mícron, simbolizado por (w);

·         Abertura da malha em %, simbolizado por (ao);

·         Espessura da malha (espessura do tecido) em mícron, simbolizado por (D);

·         Volume de tinta teórico em cm3/m2, simbolizado por (Vth).

 

 

 

São derivados do número de fios (Fn) e do diâmetro do fio (d).

A unidade geométrica fundamental é o pitch (t).

Pitch (t) corresponde à soma da abertura da malha com o diâmetro do fio (t = w + d).

Este valor é calculado da seguinte forma: t = 10’000/Fn.

 

A superfície plana de um tecido é o resultado do entrelaçamento dos fios de trama e urdume. Um tecido de alta qualidade é caracterizado por tolerâncias extremamente estreitas quanto ao número de fios (fn) nas direções de urdume (Fnk) e trama (Fns).

Geralmente os produtos oferecem as tolerâncias mais próximas para a geometria do tecido; estes dados estão publicados nas planilhas de dados técnicos dos fabricantes de tecido.

 

 

NÚMERO DE FIOS E DIÂMETRO DO FIO

 

O termo “tipo de malha” ou ” número do tecido” é uma combinação do número de fios (Fn) por 1 cm ou 1 polegada mais o diametro do fio dn (Fn-dn).

 

Exemplo: 120-34 indicam 120 fios por cm, cada um com um diâmetro nominal de 34 mícron.

 

O diâmetro nominal do fio se refere ao diâmetro do fio não tecido.

O “tipo de malha” é um termo relativamente novo que substitui a difundida nomenclatura SL/ S/ M/ T/ HD.

 

 

DESCRIÇÃO DO TIPO DE MALHA

 

Nomenclatura antiga x Nomenclatura nova

 

 

120 S   = 120-31

120 T   = 120-34

120 HD = 120-40

150 SL  = 150-27

 

Descrição do tipo de malha

 

W         = White = (Branco)

Y          = Yellow (Amarelo)

CY        = spun dyed, yellow (tingido, amarelo)

PW       = Plain Weave (Ligamento tafetá)

TW       = Twill Weave (Ligamento sarja)

OSC      = One Si de Calendered (Um Lado Calandrado)

 

 

TABELA  TÉCNICA DE TECIDO

 

LIGAMENTO

 

O tipo de malha é especificado junto com o ligamento. Isso descreve o padrão segundo o qual os fios de trama e urdume são entrelaçados e é expresso como um número de ligamento. Os tecidos para serigrafia apresentam um ligamento tafetá lisa ou de sarja. A textura tafetá corresponde a um ligamento 1 :1. Vários tipos de ligamento de sarja apresentam números diferentes de textura, como por exemplo 1:2 ou 2:2.

LIGAMENTOS

 

 

ABERTURA DA MALHA

 

A abertura da malha (w) corresponde ao espaçamento entre os fios de trama e urdume e é medida perpendicularmente ao plano do tecido.

 

A abertura da malha define: O tamanho máximo da partícula de tinta a ser usada na impressão serigráfica

 

A abertura da malha afeta:

 

• O nível de detalhe impresso na linha e nas impressões de meio tom;

• As características de passagem da tinta;

• A espessura da camada de tinta.

 


Nota: Para uma penetração adequada da tinta, o tamanho médio da partícula de tinta nas impressões serigráficas deve ser inferior a 1/3 da abertura da malha.

 

 

 

SUPERFÍCIE LIVRE (ÁREA DE ABERTURA DA MALHA EM %)

 

Corresponde à quantidade em % de todas as aberturas de malha em relação à superfície total do tecido. Um tecido com a Superfície livre de 30.5% possui uma superfície livre igual a 30.5% e uma superfície fechada igual a 69.5%.

 


 

 

 

VOLUME TEÓRICO DE TINTA

 

Este valor é calculado em função da superfície livre e da espessura da malha. O volume das aberturas de malha define a quantidade efetiva de tinta que um tecido para serigrafia pode aceitar. O volume efetivo de tinta calculado é superior, mas proporcional, ao volume teórico de tinta.

Sob condições reais, o grau de tinta existente no tecido depende da velocidade do rodo, das características da lâmina do rodo – dureza, ângulo e acabamento e da consistência da própria tinta. Devido às dificuldades de se calcular um valor baseado em tantas variáveis, é oferecida uma alternativa mais prática para a determinação do consumo de tinta e da espessura do volume impresso.

 

 

 

Dado um preenchimento de tecido ótimo e uma passagem de tinta limpa, a espessura do depósito de tinta fresca pode ser estimada a partir do volume teórico de tinta.

O volume teórico de tinta da malha fornece indicações para aplicações em úmido, como também para o cálculo do consumo de tinta.

 

Exemplo:

Uma tinta com 60% de material sólido, impressa em poliéster 77 /48 produz uma aplicação em úmido de 28 cm3/m2 que correspondem a uma espessura de 28 micron. Durante o processo de secagem, 40 % do solvente é evaporado. A espessura da camada de tinta restante é de apenas 17 mícron.

 

 

 

Na impressão reticulada de quatro cores, deve-se tomar cuidado para que a espessura da matriz sobre a malha não exceda 3-5 mícron.

 

Fonte: Grafyarte